A quem interessa falar dos “perigos” do Foro de São Paulo

O Foro de São Paulo é uma associação de partidos de esquerda da América Latina. Inclui tanto partidos comunistas, quanto social democratas. Os partidos brasileiros presentes no Foro são o PT, o PCdoB, o PCB, o PDT, o PPL, o PSB e o PPS (sim, dois partidos “tucanos” fazem parte do Foro). Associações de partidos com afinidade ideológica são comuns. Existem internacionais. Existem blocos de partidos ideologicamente alinhados no Parlamento Europeu.

Podemos observar que onze em cada dez referências ao Foro de São Paulo na imprensa brasileira são localizadas em textos com mimimi anticomunista, falando que o Foro articula planos para implantar o comunismo, comer criancinhas, distribuir Pepsi com fetos abortados e roubar o coelhinho da Mônica. Para tentar relacionar o Foro com alguma atividade criminosa, os mimizentos falam da presença das Farc no Foro. O problema é que as Farc deixaram o Foro em 2002. Antes disso, estavam tentando negociar com o governo colombiano para entregar as armas e virar um partido. Fora isso, a grande imprensa brasileira fala pouco do Foro. Não porque é cúmplice do plano secreto de assar as criancinhas, e sim porque não quer fazer propaganda de uma organização cuja orientação política é discordante.

Quem começou falando dos perigos do Foro foi o autointitulado filósofo Olavo de Carvalho. Ele sabe explorar muito bem um nicho comercial. Não tem vínculo forte com políticos e partidos. Os seguidores do Olavo difundem as teorias sobre os perigos do Foro porque realmente acreditam nelas.

Outros colunistas na imprensa passaram a falar dos perigos do Foro, mas com motivação muito pior. Eles têm simpatia pelo PSDB e pelo DEM, proximidade com políticos destes partidos, ou ao menos escrevem para periódicos que se simpatizam por esses partidos. Sabem que a maioria dos brasileiros tem desconfiança generalizada dos partidos políticos, que considera que a corrupção está em vários partidos, que a maldade não é restrita ao PT. Por isso, esses colunistas se veem na necessidade de criar uma historinha para mostrar que o PT é mais malzinho do que os outros partidos. Aí falam do Foro comedor de criancinhas. Dessa forma, induzem seus leitores a pensar que o PT tem a maldade extraordinária, e que por isso, o cidadão de bem deve aceitar os delitos praticados por políticos do PSDB e do DEM como um mal menor. Também deve aceitar os delitos dos políticos do PMDB e do PP como um mal menor, quando estes partidos não se comportam mais como aliados do PT. Deve aceitar que para tirar o PT, investigado pela Lava Jato, do Planalto, é aceitável o PSDB se aliar ao PMDB, outro investigado pela Lava Jato. Estes colunistas transmitem a ideia do “rouba, mas no momento é o que existe de força contra o PT”. Alguns destes colunistas têm ótimas relações com políticos delinquentes do PSDB, do DEM, do PMDB e do PP. Há até mesmo alguns que pagavam pau para o Eduardo Cunha antes da descoberta das contas na Suíça. Mas depois de já serem bem conhecidas as histórias da Telerj e da Cehab.

Então, meu amigo leitor, se você ler um colunista mencionando os perigos representados pelo Foro de São Paulo, tenha a consciência de que não se trata de um maluco paranoico. E nem simplesmente de “alguém que pensa diferente de mim”. Trata-se na verdade de um charlatão safado que tem interesse especial em passar pano em pilantras quando estes pilantras são do PSDB, DEM, PMDB ou similares, e quando estes pilantras têm afinidade ideológica ou até mesmo pessoal com o colunista. Sugiro dar um Google nos nomes dos colunistas que escrevem sobre os perigos do Foro, para verificar as afinidades destes colunistas.

Sim, achava que nem precisava escrever, mas sempre alertando, o fato dos adversários do PT terem feito sujeira não justifica as sujeiras do PT. Mas também as sujeiras do PT não justificam colunistas charlatões inventarem historinhas de perigos imaginários para proteger sujeiras de políticos pelos quais os colunistas charlatões têm afinidade.

foro de são paulo figura

Comentários