Por que os ateus gostam do Papai Noel

Por que os ateus gostam do Papai Noel? Alguém poderia responder: “porque ele dá presentes”. Mas a resposta não é essa porque ele não existe. A resposta seria por que os ateus são comunistas e o Papai Noel também é comunista, uma vez que que tem barba, se veste de vermelho, faz redistribuição, e mora na Finlândia, um dos países mais igualitários do mundo? Também não, uma vez que nem todo ateu é comunista. Aliás, durante a década de 2000, muitos ateus militantes faziam parte da direita liberal, enquanto que muitos esquerdistas eram ateus não militantes, espirituais mas não religiosos ou mesmo religiosos. E segundo os Garotos Podres, o Papai Noel é capitalista, porque só presenteia os ricos e cospe nos pobres. Se o Papai Noel existisse, seria mais fácil dizer se ele é capitalista ou comunista.

Os ateus gostam do Papai Noel por dois motivos. Em primeiro lugar, porque ao dividir o protagonismo no Natal com Jesus Cristo, o Papai Noel torna o Natal uma festa mais eclética. Quando chega dezembro, o Natal está em todos os cantos. As ruas estão decoradas, as lojas estão decoradas, as famílias fazem celebrações. É inevitável que o Natal seja uma festa da população inteira. Porém, o Natal é uma festa de uma religião específica, o cristianismo (incluindo todas as suas subdivisões). É verdade que a maioria da população do mundo ocidental é cristã. Mas esta maioria é cada vez menor. Vem crescendo o número de seguidores de outras religiões, de pessoas espirituais mas não religiosas, de deístas e de ateus. O Papai Noel é inspirado em São Nicolau, um bispo cristão que viveu na Grécia, no século IV. Mas também é inspirado em Odin, divindade do paganismo germânico. É importante lembrar que antes de serem cristãos, os germânicos já tinham festas no solstício de inverno. O Papai Noel ajuda a fazer do Natal uma festa de todos, não apenas uma festa de seguidores de uma religião.

Em segundo lugar, o Papai Noel é uma escola de ceticismo. As crianças, quando muito pequenas, acreditam que existe um velhinho que dá presente no final do ano para quem se comporta bem ao longo do ano. Depois, aprendem que este velhinho é apenas uma lenda. Isto pode preparar a mente de algumas crianças para, quando crescidas, pensar que o ser invisível que ouve preces e que deixa entrar no céu quem se comportou bem durante a vida na terra também pode ser apenas uma lenda. E a lidar com a frustação da possibilidade de não existir alguém com superpoderes capaz de atender seus desejos.

 

Observação: por falar em ateísmo, repudio a piada sem graça que a ATEA fez nessa semana. Foi um desrespeito ao sofrimento. Eu estava planejando escrever este texto bem antes do episódio, mas uma vez que aconteceu e está relacionado ao mesmo assunto, não tem como me omitir

santa-marx

Comentários