Sobre as pessoas cultas de esquerda que acreditam em Astrologia

Decidi escrever um texto sobre o assunto porque para mim pareceu estranho perceber tantas pessoas instruídas, de esquerda, não religiosas, críticas em outros assuntos, levando Astrologia a sério. Não vou tirar liberdade de crença das pessoas, cada um acredita no que quer, mas também cada um fala o que quer sobre o que os outros acreditam. Não pretendo policiar as crenças dos outros. Jamais deixaria de considerar opiniões de uma pessoa em outros assuntos só porque essa pessoa acredita em Astrologia. Mas não vou deixar de discutir crenças.

De acordo com a Astrologia, a posição dos astros no momento em que um ser humano nasce tem poder de fornecer informações sobre sua personalidade, seus relacionamentos e seu futuro. O mais conhecido Astrologia são os signos solares, que são determinados de acordo com a passagem do sol por cada uma das 12 constelações do Zodíaco, de acordo com nossa visão. Para efeitos de arredondamento, cada signo dura um mês. O signo solar de cada pessoa é determinado por sua data de nascimento. Por exemplo, meu signo solar é Câncer, porque eu nasci em um dia 29 de junho. O signo solar determinaria como a pessoa é. Além do signo solar, existe o ascendente, que determinaria como o mundo vê a pessoa. O signo ascendente seria aquele que ascende no horizonte quando a pessoa nasce. É determinado pela data, horário e local de nascimento. Como eu nasci no dia 29 de junho de 1984, às 9h50, em Campinas-SP, meu ascendente é Virgem. O signo lunar é o que determinaria as emoções da pessoa. É calculado através da data, horário e local de nascimento da pessoa. Meu signo lunar, assim como meu signo solar, é Câncer.

Existe tanto Astrologia chinesa, quanto ocidental, mas a que mais conhecemos, que é a ocidental, teve início na Mesopotâmia muitos anos antes de Cristo, e foi aprimorada pelos gregos. Em um tempo em que o conhecimento humano acumulado era muito mais limitado, fazia algum sentido as pessoas acreditarem no poder de previsão dos astros. A posição de alguns astros realmente tem impacto na Terra. A posição do Sol tem efeito nas estações do ano, a posição da Lua tem efeito nas marés. Era natural que algumas pessoas começassem a imaginar outros efeitos da posição dos Astros no céu na vida na Terra.

A Astrologia surgiu em um tempo em que se pensava que a Terra era um disco chato fixo e que todos os astros giravam em torno da Terra. Com o conhecimento científico que a humanidade tem hoje, verifica-se que a Astrologia não faz sentido. Sabemos hoje que constelações são artificiais, são grupos de estrelas que os olhos humanos enxergam no céu quando estão no Planeta Terra e que formam figuras que os humanos conhecem, mas as estrelas de uma mesma constelação estão bem distantes uma da outra. O efeito gravitacional de planetas sobre a criança nascendo é muito menor que o efeito gravitacional exercido pelo obstetra, porque apesar do obstetra ser muito mais leve que um planeta, ele está bem mais próximo da criança. O efeito de sinais de rádio emitidos pelo Sol e pelos planetas é muito menor do que o efeito de alguma emissora de rádio localizada nas proximidades da maternidade.

Vários testes científicos foram feitos para verificar a validade da Astrologia, e nestes testes, a Astrologia foi reprovada. Um teste famoso publicado na revista Nature nos anos 1980 consistiu em astrólogos escolherem entre três questionários de personalidade, qual deles se aplicava a um determinado mapa astral. A taxa de acerto ficou em um terço, ou seja, igual a se os questionários tivessem sido sorteados. Também houve teste verificando se há mais divórcios em casais formados por horóscopos tidos como incompatíveis, e foi observado que o percentual de divórcio é o mesmo para casais “compatíveis” e “incompatíveis”.

Os textos com os links a seguir explicam mais detalhadamente a história da Astrologia, suas incompatibilidades com a ciência e os mencionados testes.

Verdades inconvenientes sobre Astrologia – Superinteressante

12 perguntas céticas sobre Astrologia – Universo Racionalista

Astrologia não é ciência – ateus net

Pensamentos sobre astrologia – ateus net

Mas então por que tanta gente acredita em Astrologia, incluindo pessoas bastante escolarizadas, com bastante senso crítico para outros assuntos? Podemos pensar em algumas hipóteses.

Muitas pessoas gostam de encontrar correlações. A Astrologia é uma forma de correlação. Mas existem outras correlações em que existem pessoas que acreditam. Tem gente que usa sempre a mesma cueca quando o time para o qual torce joga porque quando usou essa cueca, o time ganhou. Porém, é possível que muitas dessas pessoas que usam “cuecas da sorte” saibam que racionalmente não faz o menor sentido, e que mantém o hábito da “cueca da sorte” apenas como mania.

É possível ainda que o viés de confirmação induza muitas pessoas a levar a Astrologia a sério. As pessoas já estão propensas a acreditar em Astrologia, leem a descrição de seus signos, e aí acabam encontrando algumas descrições realmente verdadeiras porque querem encontrar essas descrições. Se a descrição de seu signo solar não for verdadeira, basta procurar a descrição do ascendente. Se a descrição do ascendente ainda não for verdadeira, basta procurar a descrição do signo lunar. Aí fica fácil encontrar alguma descrição de signo que realmente se aplica à personalidade.

Por exemplo, como já afirmei, sou de Câncer com ascendente em Virgem e lua em Câncer. De acordo com este site, a descrição do signo solar de Câncer é: “sua missão é nutrir. Suas principais características são: emotividade, saudosismo, ser maternal, pessimismo, magoar-se facilmente e sensibilidade”. A descrição da ascendente em Virgem é: “praticidade, crítica, sistematização, método, perfeccionismo, timidez, preocupação com limpeza e saúde”. A descrição da lua em Câncer é: “emocionalmente maternal. Necessidade de nutrir e ser nutrida”. Algumas destas descrições se aplicam a minha personalidade, outras não. Mas com tantas descrições, encontrar uma ou outra que se aplica é uma tarefa elementar. Características de outros signos também podem se aplicar a minha personalidade. Este vídeo mostra um teste em que a descrição do signo Capricórnio é distribuída para 20 pessoas, que recebem a informação errada de que a descrição é de seu próprio signo. Algumas dessas pessoas, que não são de Capricórnio, pensam que a descrição que elas leram se aplicam a elas mesmas.

Uma curiosidade: este é o signo solar dos principais pensadores de Economia. Tentem achar alguma regra, alguma semelhança entre pensadores que têm mesmo signo. Marx, Hayek e Samuelson são de Touro…

 

Adam Smith: Gêmeos

David Ricardo: Áries

Karl Marx: Touro

John Stuart Mill: Touro

Leon Walras: Sagitário

Alfred Marshall: Leão

Piero Sraffa: Leão

Joseph Schumpeter: Aquário

John Maynard Keynes: Gêmeos

Joan Robinson: Escorpião

Michal Kalecki: Câncer

Ludwig Von Mises: Libra

Friedrich Hayek: Touro

Raul Prebisch: Áries

Celso Furtado: Leão

Paul Samuelson: Touro

James Tobin: Peixes

Franco Modigliani: Gêmeos

Robert Sollow: Virgem

Milton Friedman: Leão

Edmund Phelps: Leão

Robert Lucas: Virgem

Thomas Sargent: Câncer

Edward Prescott: Capricórnio

Joseph Stiglitz: Aquário

Paul Krugman: Peixes

Greg Mankiw: Aquário

Olivier Blanchard: Capricórnio

David Romer: Peixes

Hal Varian: Peixes

Thomas Piketty: Touro

 

Chega a ser irônico que mesmo que um dos grandes ícones da Astrologia no Brasil tenha sido Olavo de Carvalho, que pessoas céticas não acreditem em Astrologia, muitas pessoas de esquerda que se mostram céticas em outros assuntos realmente levam Astrologia a sério. Pessoas que estão no mesmo lado do espectro político de quem critica muito a bancada evangélica. O personagem do ótimo filme brasileiro “Lua em Sagitário” é comum na vida real.

Não vejo muita diferença entre acreditar na posição dos astros determinando a personalidade e o futuro da pessoa e acreditar na Arca de Noé. Em ambos, fazia até um pouco de sentido acreditar quando o conhecimento acumulado pela humanidade era bem mais limitado, mas atualmente não. Sim, eu sei porque tanta gente que não acredita nem em Astrologia nem na Arca de Noé considerarem pior acreditar na Arca de Noé: muitas pessoas que realmente acreditam na Arca de Noé são machistas e homofóbicas. Embora a crença na Arca de Noé não leve diretamente ao machismo e à homofobia, ser um seguidor muito fundamentalista da religião que trata da Arca de Noé leva ao machismo e à homofobia. A crença no poder dos astros normalmente é inofensiva. Embora possa ser definido como preconceito julgar uma pessoa de acordo com a posição dos astros no céu no dia em que ela nasceu. Já pensaram uma pessoa que leva muito a sério a Astrologia ter o poder de definir equipes que vão fazer um trabalho, e usar os astros como critério para escolher as pessoas?

A Astrologia não é a única das crenças que muitos millennials têm. Os millennials, que são os nascidos nas décadas de 1980 e 1990, são bem menos religiosos do que as gerações anteriores, mas não são muito mais ateus do que as gerações anteriores. É muito comum um millennial ser spiritual but not religious, ou seja, não seguir uma religião tradicional, mas crer em alguma coisa sobrenatural.

Por fim, é necessário fazer uma alerta. Devemos ser críticos em relação a Astrologia, Criacionismo e outras crenças mais, mas não é por isso que devemos ter fé na ciência. Quem não é da área de ciências naturais, ao participar de debates sobre o assunto, deve ler textos de divulgação para o público leigo para se informar e formar opinião, e não simplesmente dizer “ele está certo porque ele tem diploma em ciência”.

olavo de carvalho veja astrologia

Comentários